Caetano Moreno Zeca Tom Veloso | Juiz de Fora 21/04 "Ofertório" | EventosTop

Abril, 2018

20Abr21:0023:59Caetano Moreno Zeca Tom Veloso | Juiz de Fora 21/04 "Ofertório"

Mais

Detalhes

OFERTÓRIO – CAETANO MORENO ZECA TOM VELOSO TERÁ NOVA SESSÃO NA CIDADE
Nomad Produções abre sessão extra para o show Ofertório, no dia 20 de abril.

Sucesso de público pelo Brasil, o show especial “Ofertório – Caetano Moreno Zeca Tom Veloso”, que reúne o ícone da música brasileira com seus três filhos, também músicos, terá mais uma apresentação na cidade, com abertura de sessão extra no dia 20 de abril. As vendas para essa data serão abertas no dia 01 de março, quinta-feira.
O nome “Ofertório” é o mesmo da canção composta por Caetano, em 1997, para a missa em homenagem aos 90 anos de sua mãe, Dona Canô. Um show imperdível em duas apresentações em Juiz de Fora.

INFORMAÇÕES GERAIS

Plateia A (2º lote – início em 29/03)

R$ 280,00 Inteira
R$ 140,00 Meia Entrada

Plateia B (2º lote – início em 29/03)

R$ 250,00 Inteira
R$ 125,00 Meia Entrada

Data: 20/04/2018, Sexta-Feira
Abertura da casa para o público: 20h30
Início do show: 21h30m
Local: Cine Theatro Central, R. Barão de São João Nepomuceno, S/N – Centro.
Classificação etária: 18 anos (Menores de 18 anos deverão estar acompanhados de pai ou mãe)

Venda online: www.ticketmais.com.br
Parcelamento em até 12x, consultar juros com a operadora do cartão. Acréscimo de 10% taxa do serviço do site.

Pontos de Vendas
Formas de parcelamento:
De 01/03 até 31/03 2 X sem juros
De 01/04 até 21/04 1 x (crédito à vista)

– Shape Suplementos: Independência Shopping, 1º Piso
– All Sports: Shopping Jardim Norte, 1º Piso
– Zine Cultural: Rua Marechal Floriano Peixoto, 723 – Centro
– Planet Music: Rua Moraes e Castro, 218, Alto dos Passos
– Pluri Bistrô: Rua Marechal Deodoro, 810, Centro

Meia Entrada – Ingresso válido para:

– Estudantes do ensino básico, fundamental, médio e superior ( 1º, 2º e 3º graus);
Carteira de Identificação Estudantil (CIE), emitida pela Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG), pela União Nacional dos Estudantes (UNE), pela União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), pelas entidades estaduais e municipais filiadas àquelas, pelos Diretórios Centrais dos Estudantes (DCEs) e pelos Centros e Diretórios Acadêmicos, com prazo de validade renovável a cada ano, conforme modelo único nacionalmente padronizado e publicamente disponibilizado pelas entidades nacionais antes referidas e pelo Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI), com certificação digital.
– Idosos com idade igual ou superior a 60 anos;
Saiba mais (LEI No 10.741, DE 1º DE OUTUBRO DE 2003. CAPÍTULO V, Art. 23.): https://goo.gl/Fzicsc ;
– Professores de todas as redes (pública e privada) de todo território nacional brasileiro;
– Pessoas com Deficiência (PcD’s) – inclusive seu acompanhante quando necessário. Saiba mais (LEI Nº 12.933, DE 26 DE DEZEMBRO DE 2013): https://goo.gl/X1E1vx
– Portadores da carteirinha ID Jovem do Governo Federal (Jovem de baixa renda – pessoa com idade entre 15 e 29 anos que pertence à família com renda mensal de até dois salários mínimos, inscrita no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal – CadÚnico). Saiba mais (DECRETO Nº 8.537, DE 5 DE OUTUBRO DE 2015): https://goo.gl/W6TKyZ .

· Conforme LEI Nº 12.933, DE 26 DE DEZEMBRO DE 2013. § 10. A concessão do direito ao benefício da meia-entrada é assegurada em 40% (quarenta por cento) do total dos ingressos disponíveis para cada evento. Lugares disponíveis no Cine Theatro Central:
Platéia A, 572 lugares disponíveis, fica reservado 229 lugares para os beneficiários da MEIA ENTRADA.
Platéia B, 660 lugares disponíveis, fica reservado 264 lugares para os beneficiários da MEIA ENTRADA.

· A Apresentação da comprovação mencionada acima que garante o benefício dos 50% de desconto sobre a inteira é obrigatória e também deverá ser apresentada na entrada do evento o documento de identidade original com foto.

CAETANO
MORENO
ZECA
TOM
VELOSO

Há muito tempo tenho vontade de fazer música junto a meus filhos publicamente. Desde a infância de cada um deles gosto de ficar perto. Cada um é um. Sempre cantei para eles dormirem. Moreno e Zeca gostavam. Tom me pedia pra parar de cantar. Indo por caminhos diferentes, todos se aproximaram da música a partir de um momento da vida. Moreno, que nasceu vinte anos antes de Zeca, formou-se em física. Tom, que nasceu cinco anos depois de Zeca, só gostava de futebol. Moreno e Tom já se profissionalizaram como músicos. Zeca, depois de passar parte da adolescência experimentando com música eletrônica, começou a compor solitariamente. Quero cantar com eles pelo que isso representa de celebração e alegria, sem dar importância ao sentido social da herança. É algo além até mesmo do “nepotismo do bem”, na expressão criada por Nelson Motta.

Faz uns anos, fiz, atendendo a um convite específico, um show com Moreno, que foi uma das melhores coisas que já aconteceram na minha vida. No show que faremos agora, voltaremos a certas canções impossíveis de serem descartadas, como “Um canto de afoxé para o bloco do Ilê” ou “Sertão”. Moreno tem uma linha criativa extremamente refinada. Os trabalhos com o grupo +2 são uma marca profunda e duradoura da sua geração. Seu disco individual é um dos mais belos exemplos de delicadeza da história da canção brasileira.

Logo depois comecei a fazer o trabalho com a Banda Cê. E Recanto pra Gal. Moreno esteve em todos esses projetos como produtor, trazendo sua sabedoria. No meio tempo, Zeca e Tom foram crescendo. Tom, no começo, nem ligava pra música. Hoje faz parte da banda Dônica e é, de nós quatro, o mais naturalmente dotado para as relações entre as alturas, os tempos e todos os signos musicais. Zeca, que sempre adorou música, justo quando achava que não havia para si mesmo um caminho nessa atividade, compôs um grupo de canções comoventes. Ao ouvir uma delas, Djavan exigiu que ele a mostrasse em público. Ele resistiu mas nesse show finalmente obedecerá a Djavan. Tom, em sua relação de discípulo com Cézar Mendes, desenvolveu uma capacidade de execução notável. E logo já começava a compor com seu mestre. Entrei como letrista numa dessas canções que ele fez com Cézar. E agora, na preparação desse novo show, fiz letra para uma música só sua.

Assim, no show apresentaremos algumas dessas coisas que cresceram em nós, de nós. E canções minhas escolhidas por eles. “O Leãozinho”, que os filhos de tanta gente pedem, os meus não deixaram de pedir. E coisas como “Reconvexo” têm de estar ali confirmando a linhagem. Há clássicos de Moreno e canções novas de todos (inclusive minhas). Nas primeiras conversas, imaginamos chamar um pequeno grupo de músicos para enriquecerem os arranjos. Mas, ensaiando, decidimos ficar só os quatro no palco. O som será mais para o acústico e muito singelo. Eu sou o único que só toca violão. Os outros podem se revezar em alguns instrumentos. É um show familiar, nascido da minha vontade de ser feliz. Ter filhos foi a coisa mais importante da minha vida adulta. O que aprendi com o nascimento de Moreno – e se confirmou com as chegadas de Zeca e Tom – não tem nome e não tem preço. Mas nosso show também tem a responsabilidade de apresentar números com qualidade profissional. Creio que não somos uma família de músicos, como há tantas, dado o caráter comprovadamente genético do talento musical, mas seguramente somos músicos de família. Os shows são dedicados às mães deles, a Cézar Mendes e à memória de minha mãe.
(Caetano Veloso)

Horas

(Sexta-feira) 21:00 - 23:59

Local

Cine Theatro Central

Rua Halfeld - Praça João Pessoa, s/n

Organizador

Os comentários estão desativados.

X